Saúde

Para atrair e reter os melhores talentos, as organizações precisam oferecer programas de benefícios que atendam às necessidades individuais em diferentes estágios de vida, assim como fornecer transparência e portabilidade.  “Remuneração e benefícios” é um dos itens que compõe as despesas organizacionais mais criticados no mundo dos negócios. Ao mesmo tempo, é um dos mais importantes para atingir os resultados do negócio. Isso deixa o RH com o dilema de gerenciar o orçamento de recompensa total a fim de alcançar alta satisfação do empregado, baixa rotatividade e alta produtividade, tudo isso enquanto mantém os custos baixos.  Em qualquer empresa, o objetivo final da gestão da recompensa total – a soma da recompensa em dinheiro (salário) e recompensa não financeira (benefícios) é assegurar que os empregados assumam um maior protagonismo sobre seu trabalho a fim de melhorar a qualidade do serviço, a satisfação do cliente, a produtividade e a eficiência.  Os benefícios são uma parte importante da equação. De acordo com os resultados da Pesquisa de Remuneração Total de 2016 da Mercer na Turquia, da qual centenas de empresas participam todos os anos, os benefícios constituem 10%-15% do pacote de recompensa total das posições de analista e de nível de especialista.1 Já no nível de gerente e diretor, os benefícios constituem 15%-20% do pacote de recompensa total na Turquia. Os benefícios são uma das partes mais visíveis e, portanto, mais criticadas do pacote. Os empregados questionam e comparam seus pacotes de benefícios e os usam como alavanca para negociar com seus empregadores. Além disso, pesquisas recentes revelam que o conhecimento do empregado sobre os benefícios é insuficiente. As empresas precisam de maneiras de comunicar melhor seus programas de benefícios, adaptar seus benefícios às suas próprias necessidades demográficas, atender aos requisitos de empregados diversificados e definir estratégias de benefícios que se identifiquem com os seus empregados.  Os programas de benefícios mudam de país para país com diferentes leis trabalhistas, programas de previdência social, além de fatores culturais e demográficos. Mas os benefícios não são apenas uma exigência legal: eles também são uma maneira de gerenciar eficazmente os custos de emprego, melhorar o serviço e atrair talentos. Quando olhamos para as empresas do Oriente e do Ocidente, vemos uma necessidade compartilhada de flexibilidade nas ofertas de benefícios na era digital. A flexibilidade permite que as empresas aloquem estrategicamente seu orçamento de benefícios em iniciativas que contribuam diretamente para uma força de trabalho mais produtiva, feliz e saudável.    SEUS BENEFÍCIOS SÃO FLEXÍVEIS? CHECKLIST DE BENEFÍCIOS DE UM EMPREGADO    • Nossos benefícios respondem às mudanças de cargo, estado civil e nível de renda do empregado.  • Comunicamos nossos benefícios em um resumo do pacote de recompensas totais do empregado, bem como alterações em nossos benefícios.  • Revisamos e alteramos nossas políticas conforme mudam nossas necessidades comerciais e demográficas.  • Permitimos que os empregados montem seu próprio pacote de benefícios de acordo com suas necessidades.  • Damos aos empregados oportunidade de mudarem os benefícios uma vez que permaneçam dentro do orçamento previsto.  • Damos aos empregados acesso a descontos, vantagens fiscais e isenções de prêmios de seguros para ajudar a manter os benefícios acessíveis.  De acordo com a Pesquisa de Remuneração Total da Mercer, os países onde os programas de benefícios flexíveis são mais predominantes são: Reino Unido, EUA, Espanha, Suécia, Noruega, Dinamarca, China, Índia e Singapura. Nas economias ocidentais, as empresas implementam programas de benefícios flexíveis para oferecer mais opções, compartilhar custos e ajudar os empregados a entender melhor o valor dos benefícios oferecidos. Nas economias orientais, os programas de benefícios flexíveis permitem que as empresas se diferenciem em uma indústria em desenvolvimento e em uma economia em crescimento.  Como adicionar flexibilidade ajuda as empresas a permanecerem estáveis em termos de custo     Devido às preocupações políticas e econômicas na Turquia nos últimos cinco anos, as empresas geralmente preferem permanecer reativas em termos de prevalência de benefícios. Elas estão agora procurando maneiras de promover a diversidade e fornecer opções para os empregados enquanto se mantêm dentro do orçamento previsto. O nível de prevalência dos benefícios flexíveis aumentou de 11% em 2013, para 31% em 2015 na Turquia. Com esses programas, as empresas líderes estão começando a fornecer novos benefícios para seus empregados e oferecer a oportunidade de alterar benefícios. As empresas concorrentes também estão considerando programas de benefícios flexíveis como uma forma de competir com as pioneiras.  Mudar para um programa de benefícios flexíveis não é fácil. Isso envolve redesenhar o pacote de benefícios, incluindo comunicações profissionais aos empregados. Para justificar tal projeto de grande dimensão do RH, o programa deve apresentar redução de custos e aumento da satisfação do empregado.  Vejamos um exemplo de uma empresa que oferecia mais opções enquanto mantinha-se neutra em termos de custo. Os números estão em lira turca e nosso empregado é casado. O pacote atual de benefícios desse empregado custa à empresa 12.204 liras. Esse custo corresponde ao custo bruto (em outras palavras, o custo final para a empresa fora da folha de pagamento). O valor líquido total deste pacote de benefícios é de 11.417 liras.  Com a estrutura flexível, o empregado recebe novos benefícios: um voucher de compras (com um desconto de 5%), um plano de previdência e um check- up médico - um serviço que não está incluído nos planos médicos turcos. O empregado também tem a opção de aumentar a cobertura de seu plano médico trocando seus benefícios atuais (subsídio de transporte, vale refeição e voucher de roupa). Ao trocar os benefícios, os empregados podem não só se beneficiar de preços com desconto, mas também das vantagens fiscais que vêm com a previdência e planos médicos. Quando comparamos o valor líquido total do desenho de benefícios anterior do empregado com o novo desenho, vemos que ele está agora obtendo 437 liras extras em valor de benefícios. Usando uma estrutura flexível, o empregador permanece neutro em termos de custo enquanto o empregado pode personalizar ou até mesmo aumentar o nível de  seus benefícios.  O Futuro Dos Benefícios Flexíveis Um número crescente de empregados hoje espera que seus empregadores usem seu poder de compra para oferecer-lhes preços com desconto e oportunidades de vantagem fiscal. Isso é especialmente evidente em mercados onde a taxa de crescimento é baixa e a pressão sobre aumentos salariais é muito alta, incluindo Turquia, Brasil, África do Sul, México e Coréia do Sul. Atualmente, as empresas nesses mercados estão cada vez mais perguntando aos seus empregados o que eles querem e tentando oferecê-los uma ampla gama de opções para apoiar na atração e retenção de empregados.  Essas organizações precisam encontrar maneiras eficazes de gerenciar recompensas enquanto atendem às diversas necessidades dos empregados. Os programas de benefícios flexíveis são uma forma de oferecer essas opções, ao mesmo tempo em que permanecem neutros em termos de custos, aumentando o envolvimento e promovendo a responsabilidade dos empregados. 

Can Suntay | 17 abr 2017
tiles1

COMO PODEMOS AJUDAR?

Converse com um especialista da Mercer

back_to_top