Inovação

Músicos, poetas e filósofos passam a vida se perguntando: "Quem sou eu?". Em um futuro não tão distante, a resposta a essa pergunta poderá estar armazenada nos seus perfis pessoais de blockchain, ou seja, "baús" digitais que guardam os detalhes de cada decisão, ação e compra realizada desde o dia em que nascemos. Dê adeus à sua certidão de nascimento, passaporte, currículo e histórico médico, e conheça o futuro do blockchain: seu perfil de blockchain. Sua resposta exclusiva à pergunta "Quem é você?" será um registro cronológico, hiperdetalhado e imutável que afirma com uma certeza inédita "Eu sou assim". O blockchain não estará nos nossos pensamentos, emoções, sonhos ou pesadelos. Tampouco captará as confissões íntimas escritas em diários ou ditas ao espelho pela manhã. No entanto, o blockchain jamais se esquecerá que você quebrou o braço aos 5 anos (enquanto escalava um corrimão), como seu coração disparou quando você conheceu a pessoa amada (e deixou seu drink cair no chão) ou que você pagou taxa de entrega expressa em um par de sapatos pretos (para o casamento da sua prima). O blockchain pode não ser o "eu" que os filósofos gregos tinham em mente, mas será o "eu" que o resto do mundo vê — na melhor das hipóteses, com a sua permissão. Conheça seus direitos no mundo digital   As empresas querem ter acesso às suas decisões. As informações que detalham por que você escolheu passar férias no Vietnã, come mexilhões no seu restaurante italiano favorito toda terça-feira à noite ou só usa escovas de dentes com cerdas médias têm grande valor para empresas que querem vender passagens aéreas, frutos do mar e escovas de dentes para você e para pessoas como você. Todas as decisões e ações que você realiza online são dados que revelam parte da sua personalidade e dos seus processos de pensamento. Nos últimos anos, o mercado e os políticos têm debatido o grau de acesso que as empresas devem ter nas decisões pessoais de cada indivíduo, especialmente sobre o que se lê, onde se clica e o que se compra online. Embora haja forças poderosas querendo controlar os dados que as pessoas geram ao usar serviços virtuais, os ventos estão mudando e os órgãos regulatórios estão começando a trabalhar mais a favor da pessoa física. Em maio de 2018, a União Europeia fez história com o General Data Privacy Regulation (GDPR), regulamento que estabelece rigorosamente os direitos básicos sobre privacidade, propriedade, controle, consentimento e portabilidade de dados para todos os seus cidadãos, independentemente de onde seja a residência deles.1 Nos EUA, a HIPAA Privacy Rule estabelece padrões nacionais para proteger registros médicos e outras informações de saúde de pessoas físicas.2 Essas normas têm o objetivo de proteger cidadãos contra organizações que podem querem usar dados pessoais para fins diferentes dos para os quais foram coletados ou que desviam do consentimento explicitamente dado no momento da coleta e, para isso, preveem instrumentos para aplicar vultosas multas a quem as descumprir. Em uma era de transformação digital, é essencial que todos deem valor a seus dados pessoais e à amplitude de seus direitos à privacidade. À venda: hábitos de sono e rotina de atividades físicas   Agora, os dados pessoais fazem parte da dinâmica oferta/procura que move as organizações capitalistas. Além do poder de compra, os consumidores também têm acesso a pensamentos e atividades que antecedem determinadas compras. Essas informações têm um valor incomensurável para empresas que aplicam estratégias orientadas por dados para vender seus produtos e serviços para o público-alvo. Antes da tecnologia blockchain, não era possível ter um registro tão abrangente, capaz de acompanhar as compras e os comportamentos de alguém no contexto de tudo o que está acontecendo em sua vida. Mas agora isso é possível. Hoje, o blockchain possibilita que as pessoas tenham um perfil imutável com detalhes inimagináveis, que começa no dia em que nasceram e as acompanha por toda a vida, registrando tudo, desde quando perderam o primeiro dente até os nomes de seus netos. Cada consulta médica, cada pergunta respondida no dever de casa, cada clique do mouse, cada página visualizada. As empresas, naturalmente, desenvolverão inúmeras maneiras de incentivar que todos permitam o acesso a seus dados. Com direitos individuais estabelecidos como o padrão jurídico, os consumidores terão o poder neste relacionamento, podendo monetizar os dados ao alugar o acesso a diversos aspectos de seus perfis de blockchain, desde os hábitos de sono até a rotina de atividades físicas. À medida que mais acessos forem concedidos e mais fontes de dados estiverem conectadas, os comportamentos poderão ser previstos com mais precisão, aumentando o valor do perfil de uma pessoa. De fato, as pessoas conseguirão se identificar como alvos de marketing, pondo à venda perfis abrangentes e detalhados em um mercado emergente digital de dados pessoais, uma evolução que alterará drasticamente os setores de publicidade, pesquisas e análise de dados.Um mundo de 8,5 bilhões de personalidades Estima-se que a população mundial chegue a 8,5 bilhões de pessoas em 2030. Até lá, a tecnologia blockchain pode ser capaz de organizar, de forma coerente, confiável e segura, os dados sobre as pessoas que formam as comunidades e nações. Isso torna as sociedades centradas na pessoa humana tecnicamente possíveis, nas quais as ações e comportamentos dos cidadãos ficam digitalmente registradas em suas "personalidades", um registro imutável que funciona como uma única fonte da verdade para suas experiências e sensibilidades. Em essências, as pessoas gerarão dados de forma regular e em tempo real, adicionando-os cronologicamente a seus perfis coletivos, que conterão registros de saúde, histórico educacional, credenciais profissionais, registros eleitorais, carteiras de habilitação, antecedentes criminais, situação financeira e quaisquer outros aspectos notáveis que compõem a identidade de alguém. Essa personalidade pode se tornar o registro universalmente aceito ao qual todas as informações relacionadas à identidade podem estar atreladas. Todos os processos que costumamos usar para validar a identidade de alguém serão substituídos por um perfil individual e abrangente de blockchain. A commoditização dos dados pessoais terá um impacto profundo na forma como as pessoas se relacionam entre si e com empresas. Será que o fato de sermos responsáveis pela nossa própria personalidade — e sabermos que os detalhes das nossas vidas estarão registrados para sempre em nosso perfil de blockchain — mudará o nosso comportamento? Será que as tentativas para aumentar o valor da nossa personalidade se transformarão em uma extensão da tentativa de melhorar nossas próprias vidas? Ou vice-versa? A ascensão da personalidade pode alterar o nosso entendimento coletivo de propriedade de maneiras inéditas para a raça humana desde a concepção dos direitos individuais à propriedade. Os desafios do futuro para um mundo do blockchain   Avanços tecnológicos avassaladores sempre têm um lado negativo. Com a proliferação da tecnologia blockchain e a valorização dos dados pessoais, as sociedades correm o risco de ficar ainda mais polarizadas em termos financeiros e de classes sociais. Quem tem mais poder de compra naturalmente tem dados que valem mais para empresas que vendem produtos e serviços ou para instituições públicas que poderiam se beneficiar com o apoio financeiro ou influência dessas pessoas. Quem não tem dinheiro ou acesso a tecnologias modernas enfrentará profundas desvantagens, a menos que os governos (especialmente nas economias em desenvolvimento) implementem normas que impeçam que cidadãos vulneráveis sejam deixados para trás. As economias em desenvolvimento também precisam encontrar formas para integrar intermediários que lutarão contra a perspectiva da tornarem-se obsolteos à medida que as tecnologias de blockchain ganham popularidade. Embora seja difícil prever o futuro e os desafios que as mudanças nos trarão, a História nos mostra que a tecnologia sempre vence quando se cria valor. De uma forma inédita, o futuro do blockchain dá à raça humana a oportunidade de se entender tanto no âmbito coletivo quanto individual. Ao apresentar novos insights sobre os comportamentos humanos, relacionamentos e interações de consumo, podemos aprender uns com os outros e oferecer melhores condições para todos. Talvez os dados da tecnologia blockchain até mesmo demonstrem de forma convincente à humanidade como todos nós somos parecidos. No futuro, a pergunta mais importante que as pessoas se farão não será "Quem sou eu como indivíduo?", mas "Quem somos nós como sociedade?". A resposta para essa pergunta poderá criar o tipo de civilização que existe apenas nos sonhos de músicos, poetas e filósofos. Para saber mais sobre como a tecnologia blockchain , leia Mercer Digital’s Blockchain 101 Overview. 1Palmer, Danny. "What Is GDPR? Everything You Need to Know About the New General Data Protection Regulations." ZDNet, https://www.zdnet.com/article/gdpr-an-executive-guide-to-what-you-need-to-know/. 2"The HIPAA Privacy Rule." Office for Civil Rights, https://www.hhs.gov/hipaa/for-professionals/privacy/index.html.  

Vineet Malhotra | 17 abr 2019
tiles1
Inovação

Vincenzo Peruggia nasceu em 8 de outubro de 1881. Cerca de 30 anos depois, em uma manhã de segunda-feira de 1911, o italiano baixinho vestiu um avental branco – para se misturar com os outros empregados do Louvre em Paris – e saiu carregando a Mona Lisa. Ele simplesmente a tirou da parede. Pelos dois anos seguintes, a icônica obra-prima de Leonardo Da Vinci permaneceu enfiada em um baú no apartamento do ladrão em Paris. Por fim, Vincenzo cedeu à ansiedade e voltou à Florença, na sua amada terra natal, onde contatou um negociante de arte e tentou vender a famosa pintura. A polícia o prendeu em seu quarto de hotel. O que torna esta história fascinante não é que tenha sido espantosamente fácil sair andando com um tesouro da era da Renascença famoso mundialmente, mas que o crime de Vincenzo estava fadado ao fracasso desde o início. Todas as pessoas do mundo da arte conheciam a origem, o valor e a jornada da Mona Lisa até a sua casa no Louvre. Toda a procedência da pintura estava bem documentada e estabelecida. Seria impossível introduzir novamente a obra-prima roubada no mercado sem disparar alarmes por toda a parte. A tecnologia blockchain oferece o mesmo nível de transparência e autenticidade para todas as coisas – de um tapete persa ou um sushi de atum a um refinanciamento de imóveis ou mesmo um simples limão. Veja como. Fonte única da verdade de acordo mútuo   O primeiro passo para documentar dados em um blockchain exige processos operacionais focados na exatidão desde o início. A partir do passo inicial, todas as partes envolvidas em uma transação devem confirmar a identidade, o valor e as condições de controle que governam o ativo blockchain. Em nossa história protagonizada por Vincenzo Peruggia, por exemplo, trata-se da pintura de Da Vinci, a Mona Lisa. Ela está pendurada em uma determinada parede do Louvre e vale US$ 800 milhões. Não, ela não está à venda. O valor e as circunstâncias estão estabelecidos. Se qualquer pessoa tentar roubar ou adulterar a Mona Lisa, as partes envolvidas – o mundo, neste caso – perceberão. Com o blockchain, uma vez que as informações iniciais mutuamente acordadas sejam registradas com exatidão, elas se tornam a única fonte da verdade. E nunca precisarão ser verificadas. Depois que a integridade dos dados relacionados ao ativo de informação é estabelecida, a tecnologia blockchain impede qualquer interveniente desonesto de alterá-lo, porque todos no blockchain estão vendo as mesmas informações, ao mesmo tempo, em seus respectivos computadores, distribuídos por todo o mundo. Todos têm o mesmo acesso ao ativo original, confirmado e verificado, e ao que acontece com esses dados quando são movidos. Tentar abusar desse ativo digital ou saqueá-lo seria como roubar a Mona Lisa de incontáveis e bem protegidos Louvres em todo o mundo. Não há necessidade de intermediários   A tecnologia blockchain elimina a necessidade de intermediários ou atravessadores. Os intermediários costumam ser encarregados de proporcionar integridade a processos transacionais envolvendo partes que não se conhecem. Os bancos servem como intermediários para transações financeiras entre indivíduos e empresas. Os corretores imobiliários agem como intermediários para lidar com a papelada envolvida na venda de imóveis. Até intermediários ilegais, como plataformas piratas de download de músicas, roubam montantes significativos de royalties de músicos que têm suas músicas roubadas ou plagiadas online. O blockchain pode eliminar a necessidade e o impacto de todos esses tipos de intermediários. Tomemos como exemplo Eriko Matsuyama, uma estudante de arte fictícia de 23 anos da Universidade Tohoku no Japão, que está participando de um programa de intercâmbio em Paris. Eriko, que é uma pintora talentosa, passa todas as manhãs acampada em frente à Mona Lisa, compondo elaboradas aquarelas, cada uma oferecendo uma interpretação única da musa de Da Vinci. Ela tem até uma loja on-line, onde vende seus quadros originais a fãs ao redor do mundo. Por meio da tecnologia blockchain, Eriko pode autenticar o horário, a data e o desenvolvimento de cada pintura original e enviar tanto a aquarela original quanto uma cópia digital exclusiva aos seus compradores. Caso o comprador decida vender a pintura original ou a cópia digital, o blockchain pode servir como prova de autenticidade. Talvez, 30 anos no futuro, Eriko se torne uma artista famosa cuja obra valha milhões de dólares. Essas mesmas aquarelas e suas cópias digitais terão ainda mais valor, porque o blockchain garante a sua origem e autenticidade ao longo dos anos, independentemente de quantas vezes tenham sido compradas ou vendidas, sem nunca precisar de um intermediário para verificar a autenticidade ou ajudar no processo. Os dados se tornam semelhantes a um objeto físico   A Mona Lisa é, obviamente, um objeto físico, como as aquarelas originais de Eriko, que ela assina à mão, mas as cópias digitais das suas pinturas são ativos digitais. Atualmente, um ativo digital pode ser qualquer coisa, do prontuário médico de uma pessoa à escritura de um pedaço de terra. O blockchain torna possível que um ativo de dados exista no mundo digital da mesma maneira como um objeto físico existe no mundo real. O ativo de dados pode existir como uma cópia utilizável de um arquivo de dados. Com um blockchain, sempre existe apenas uma única cópia utilizável e protegida – da mesma maneira que a versão digital de uma pintura original de Eriko Matsuyama. Ela pode ser comprada e vendida, mas nunca alterada, copiada ilegalmente ou extraviada. No intervalo de 30 anos, a cópia digital de uma aquarela de Eriko Matsuyama pode ser comprada e vendida uma dúzia de vezes por indivíduos ou empresas que queiram imprimi-la em qualquer coisa, de camisetas a papel de parede. Mas apenas uma cópia digital existirá, para sempre e sempre. A oferta e a demanda determinam o preço de qualquer produto ou serviço. Se a quantidade de um ativo digital for limitada, então esse ativo é considerado raro e a dinâmica da oferta e da demanda passa a valer, assim como no mundo físico. O desejo do mercado cria um valor quantificável, que pode ser aplicado a qualquer coisa, de um ativo individual a uma criptomoeda. A tecnologia está constantemente fazendo o mundo avançar. No futuro, o mundo digital será caracterizado por uma matriz de rotas de comércio digital de todos os tamanhos, cada uma delas protegida por blockchain, livre da pirataria e da desinformação. Se o blockhain e as tecnologias modernas estivessem disponíveis em 1911, a Mona Lisa teria sido recuperada em menos de duas horas e não em dois anos. Hoje, a face icônica da Renascença tem ainda mais razões para sorrir. Para saber mais sobre como a tecnologia blockchain, leia Mercer Digital’s Blockchain 101 Overview.

Vineet Malhotra | 11 abr 2019
tiles1
Inovação

A ascensão maníaca das criptomoedas como Bitcoin colocou a blockchain na manchete das notícias diárias, mas a maioria das organizações e pessoas é incapaz de entender o que essa tecnologia relativamente nova realmente significa para seus negócios e vidas. Hoje, tecnologia blockchain é sobre onde a Internet estava no início dos anos 90. É uma tecnologia interessante e importante, mas que ainda está em seu estágio inicial. A verdade é que, da mesma forma que as pessoas estavam tentando descobrir a Internet no início dos anos 90, ninguém realmente sabe exatamente como a tecnologia blockchain revolucionará economias e culturas. Mas sabemos - assim como a Internet no início dos anos 1990 - que a blockchain mudará o jogo. Blockchain: A Revolução da Eficiência A Blockchain terá um impacto profundo na interseção de negócios e pessoas, desencadeando uma nova era de eficiência. Como a blockchain é transparente, segura e simplificada, a tecnologia revolucionará os processos operacionais, eliminando funções e protocolos dispendiosos. Suponha, por exemplo, que um VP de engenharia em Pequim, na China, esteja sendo transferido - juntamente com sua esposa e duas filhas - para uma nova posição de longo prazo baseada em Perth, na Austrália. Historicamente, encontrar e proteger as residências além da fronteira envolvia uma enorme quantidade de documentos, pessoas e processos. Protocolos imobiliários locais eram repletos de sistemas de registro legados, amplos canais burocráticos e intermediários, incluindo corretores, agentes de títulos, advogados de títulos, cartórios, agentes de custódia, funcionários de registro de terras e banqueiros em ambos os países. Esses processos eram inchados, caros e suscetíveis a fraudes. A transparência e a segurança simplificadas fornecidas pela tecnologia blockchain erradicam muitas dessas práticas perdulárias e vulneráveis. A blockchain aumenta a eficiência e a confiança não coletando dados, mas conectando dados em uma rede descentralizada de computadores participantes denominada nós. Os nós armazenam os dados da blockchain, seguem as regras dos protocolos específicos da blockchain e se comunicam com outros nós - que podem estar localizados em qualquer lugar - que seguem as mesmas regras e mantêm uma cópia idêntica de um conjunto de dados imutável. Hackers com intenções nefastas não devem simplesmente hackear um nó, mas todo nó protegido exclusivamente distribuído por toda a blockchain em todo o mundo. Ao garantir que os dados sejam simultaneamente vinculados e, ao mesmo tempo, independentes, anônimos e seguros, a blockchain permite que todos os participantes confiem uns nos outros, porque a tecnologia não permite que ninguém altere as verdades acordadas estabelecidas sobre um ativo de dados. Não são necessários intermediários para confirmar que um comprador residencial tem dinheiro suficiente, ou se a casa tem danos causados pela água, ou se a escritura foi assinada, autenticada e entregue. Blockchain em Economias em Crescimento A blockchain está ganhando força e atrapalhando as economias em crescimento a uma taxa crescente. A blockchain não só é apresentada como uma possível solução para a corrupção endêmica e institucionalizada, mas também está ganhando aceitação em importantes setores, especialmente serviços financeiros, de saúde e instituições governamentais. Serviços Financeiros Blockchain ganhou elogios em economias em crescimento como a tecnologia por trás do Bitcoin, a primeira moeda digital. No entanto, os especialistas logo reconheceram que os recursos de segurança e transparência da blockchain poderiam mudar significativamente o setor de serviços financeiros - da mesma forma que a Internet mudou as indústrias de mídia e entretenimento há 20 anos. Instituições bancárias em todo o mundo estão adotando blockchain e DLT (distributed ledger technologies) avançadas para uma ampla variedade de funções, incluindo transações comerciais, processamento de pagamentos e transações internacionais. Na verdade, a Índia lançou recentemente o India Trade Connect, uma estratégia de financiamento comercial que usa plataformas blockchain para fortalecer uma colaboração sem precedentes entre a InfoSys e sete dos maiores bancos do país.1 As modernas tecnologias de blockchain permitem que essas entidades financeiras simplifiquem os sistemas de financiamento comercial e supervisionem transações internacionais da cadeia de suprimentos em todas etapas da operação. Saúde O setor de saúde global administra grandes quantidades de dados clínicos e administrativos, desde a cadeia de suprimentos farmacêuticos a prontuários médicos de pacientes para gerenciamento de sinistros. A introdução de dispositivos médicos inteligentes, incluindo tudo desde rastreadores de condicionamento pessoal até conjuntos cirúrgicos conectados, está introduzindo um ecossistema de informações totalmente novo. O conjunto de dados coletados de dispositivos relacionados à saúde está crescendo exponencialmente. Dados precisos e acessíveis são essenciais para melhorar os resultados clínicos e reduzir o desperdício, e a imutabilidade e capacidade da blockchain de conectar as informações atualmente em silos e servir como a “única fonte de verdade” são os principais facilitadores para o crescimento contínuo. Na Coréia do Sul, o setor de saúde tem sido muito proativo na implementação da blockchain para centralizar as informações dos pacientes e marginalizar a prevalência de medicamentos falsificados por meio do gerenciamento transparente da cadeia de suprimentos. Os registros blockchain dos históricos médicos dos pacientes fornecem aos hospitais e cuidadores coreanos um registro único e preciso dos tratamentos, procedimentos e necessidades farmacêuticas de um paciente.2 Governo Governos em economias em crescimento em todo o mundo estão usando blockchains para tudo, desde registros de propriedades e métricas de votação até carteiras de motorista e históricos financeiros. A capacidade da blockchain de fornecer um ativo digital cronológico e imutável o torna ideal para transações que afetam populações e economias - deum único indivíduo a indústrias inteiras. Para muitas nações em crescimento, a blockchain poderá em breve oferecer o potencial para saltar de processos operacionais antiquados e inchados, repletos de prevaricação, a sistemas simplificados e incorruptíveis que incentivam o investimento internacional e atraem startups lucrativas. Na África, a blockchain está ganhando aceitação rápida com empresas e formuladores de políticas, em parte porque o continente não tem incumbentes ou sistemas legados profundamente entrincheirados para enfrentar essa nova tecnologia. A blockchain permite cada vez mais que os governos da África organizem melhor os registros e os serviços por meio de sistemas aprimorados de gerenciamento de identidades - o que legitima os processos-chave para sociedades bem-sucedidas, desde a coleta de impostos até a contagem de votos.3 Blockchain: O Desconhecido Quando a Internet ganhou aceitação no início dos anos 90, sabíamos que as formas pelas quais os seres humanos se comunicavam e interagiam com a informação estavam prestes a experimentar mudanças extraordinárias. Não sabíamos, no entanto, que isso levaria ao surgimento de outras forças revolucionárias como o Google, plataformas de compartilhamento de arquivos entre pares ilegais como o Napster, dispositivos onipresentes de smartphone como o iPhone ou a invenção de canais de mídia social, como Twitter, Instagram e Facebook. Todos os disruptores culturais que continuam a moldar o mundo de maneiras significativas, de vícios digitais pessoais não saudáveis à influência de campanhas de desinformação patrocinadas pelo governo. Atualmente, blockchain é tanto um milagre quanto um mistério. O impacto que isso terá nas economias em crescimento, no comércio internacional e na cultura humana não pode ser totalmente avaliado ou apreciado neste momento. Mas o poder da blockchain é real e difundido em todas as regiões do mundo. Empresas, CEOs e governos devem adotar estratégias que não exijam necessariamente uma chamada à ação, mas um chamado à conscientização - um esforço sério para obter um entendimento sofisticado da tecnologia blockchain e como ela pode criar mudanças positivas, ou consequências negativas, em um mundo que ainda está descobrindo como a Internet dos anos 90 transformou a condição humana. Para saber mais sobre como a tecnologia blockchain está afetando as indústrias, a formulação de políticas e o comportamento humano, leia Mercer Digital’s Blockchain 101 Overview. 1Infosys Finacle Pioneers Blockchain-based Trade Network in India in Consortium with Seven Leading Banks: Infosys Limited - https://www.infosys.com/newsroom/press-releases/Pages/pioneers-blockchain-based-trade-network.aspx 2Will Blockchain Transform Healthcare in South Korea:https://techwireasia.com/2018/06/will-blockchain-transform... 3Why Africa’s Emerging Blockchain Movement Is Growing So:https://media.consensys.net/blockchain-month-in-africa-920945771100

Vineet Malhotra | 27 dez 2018
tiles1

COMO PODEMOS AJUDAR?

Converse com um especialista da Mercer

back_to_top